Mel Com Cicuta 

Without the aid of prejudice and custom I should not be able to find my way across the room.

 

William Hazlitt  
      

   

« Home | K.O. » | Hoje rezo para que o mundo não fique mais pequeno.... » | Na fotografia, exaustos soldados neo-zelandeses d... » | Paliativos pós girls night out » | Uma nova estação, os mesmos lugares. » | Confiar abandonadamente (2) » | Confiar abandonadamente » | A confirmação do pior dos receios » | mão à palmatória » | A enorme diferença entre ter uma cabeça arejada e ... »

Gostar de Cicuta


Ontem à noite, no canal 1, entrevistado por Judite Sousa, António Lobo Antunes lembrou-me como deve ser fácil para uns não gostar dele e como é impossível para mim não lhe estar (e ser) incondicionalmente rendida.

Para mim não é nada fácil não gostar dele. Mas não gosto. Não há nada a fazer. Depois de uma certa afirmação estúpida sobre Pessoa, estava tudo perdido para sempre. Perdi a paciência.
Partilho completamente. Exala ternura, como aquela que o seu avo o fez sentir.
(depois disto, muito mais descansada quanto à arrumação dos links)
Inês, não se apoquente. Aqui gostamos de mel (em quantidades homeopáticas) e de cicuta (em doses elevadas).
Enviar um comentário