Mel Com Cicuta 

Without the aid of prejudice and custom I should not be able to find my way across the room.

 

William Hazlitt  
      

   

« Home | Um lugar ao Sol » | Fragilidades da doutrina feminista radical » | Má ideia » | Lanço um sincero e singelo apelo ao demónio que me... » | És um demónio que me vela o sono. » | Era tão snob, tão snob, que, no dia em que ele con... » | Fronteiras (nem por isso) ténues » | Guia lonely planet - território: feminino. » | Serviço público televisivo » | Fundo de Investimento Mobiliário - perfil agressiv... »

Prós e Contras - ontem à noite

Vou deixar a análise das questões jurídicas relevantes para os que, mais entendidos, queiram pronunciar-se sobre a matéria. Para mim o que é realmente intrigante (do ponto de vista formal e substancial) é que o cabelo de Gilberto Madail está, a cada dia, mais aproximado do tom sobre tom (para leigos na matéria, uma técnica de coloração) usado pelo actor Diogo Amaral enquanto personagem principal da Floribela.
Este sim, é o verdadeiro caso Mateus.

Não vou tecer quaisquer considerações sobre o cabelo do madail, prometi-o aquando do mundial e Portugal portou-se muito bem. Mas sempre que o vejo apetece-me montar um gabinete de imagem para figuras públicas :-)
E toda a gente sabe a desgraçada vida que o Diogo Amaral leva, sempre com a parva da Floribella a respirar-lhe em cima com aqueles olhos de carneiro mal-morto...
Enviar um comentário