Mel Com Cicuta 

Without the aid of prejudice and custom I should not be able to find my way across the room.

 

William Hazlitt  
      

   

« Home | Era só isto que o senhor tinha de ter feito. Não c... » | Era para não ser nada daquilo » | Não perguntem porquê. E queiram, por favor, descon... » | Para que fique claro » | Perfil do investidor - Conservador [prospecto comp... » | Perfil do investidor - Agressivo [prospecto comple... » | A cada uma, a guilhotina que merece. E o esquecime... » | António e Mariana conheceram-se no lançamento de u... » | Breve história d'O Homem Que Se Rejeitou A Si Próp... » | Dizeres à porta de um prédio que deviam estar à po... »

O difícil foi ficar sentado, com tanto sangue a ferver.




Esta noite, no CCB, não esperava grande coisa. Tinha ouvido duas ou três músicas do tal cantor flamenco que me era anunciado como coisa fora de série por um amigo próximo. Longe de figurar na lista das minhas escolhas naturais, Cigala levou-me, ainda céptica, sobretudo pelo bom pretexto de rever uma cumplicidade antiga. O concerto começou, com esta mesma música e o cigano de sangue fervente mas na altura ainda morno fez-se acompanhar pelos mesmíssimos Yumitus no piano, Yelsy Heredia no contrabaixo, Diego El Morao na guitarra e SABU na percussão.
As músicas foram-se seguindo, a sala aquecendo e aquela voz poderosa entre o choro cantado e o grito resvaladiço encheu todos os cantos e espaços e passou, como um braço á volta da cintura delas e um outro à volta do ombro deles, seduzindo-os um a um.
A paixão — estado de exaltação e arritmia — germina no impacto da surpresa. Seja quando essa surpresa dimana do embate primeiro, seja quando — depois de muitos contactos e repetidos encontros, sem que deles tenha surgido efeito especialmente entusiasmante — aparece sob a forma de revelação, véu levantado de descoberta do já antes visto mas não enxergado.
Esta noite, lamentavelmente, seria a noite ideal para nos termos apaixonado.