Mel Com Cicuta 

Without the aid of prejudice and custom I should not be able to find my way across the room.

 

William Hazlitt  
      

   

« Home | Entretanto, na mesa ao lado » | Há 40 anos » | Lady Chatterley » | Amiguismos » | Poseur; poseuse » | Damage control » | To know better » | A dupla negação » | Amiguismos (ide ver) » | Über Wahrheit und Lüge im außermoralischen Sinn, 1... »

Old habits die hard (but yet they do).



As vítimas começam por identificar-se emocionalmente com os sequestradores, a princípio como mecanismo de defesa, por medo de retaliação e/ou violência. Pequenos gestos gentis por parte dos captores são frequentemente amplificados porque, do ponto de vista do refém é muito difícil, senão impossível, ter uma visão clara da realidade nessas circunstâncias e conseguir mensurar o perigo real. As tentativas de libertação, são, por esse motivo, vistas como uma ameaça, porque o refém pode correr o risco de ser magoado. O complexo e dúbio comportamento de afectividade e ódio simultâneo junto aos captores é considerado uma estratégia de sobrevivência por parte das vítimas e ocorre sem que a vítima tenha consciência disso. A identificação afectiva e emocional com o sequestrador acontece para proporcionar afastamento emocional da realidade perigosa e violenta à qual à pessoa está sendo submetida.

http://www.youtube.com/watch?v=KyL-NdWf8DI
-Ou então fundem o objectivo,criam laços de empatia, "a chamada sindrome de estocolmo"
Enviar um comentário