Mel Com Cicuta 

Without the aid of prejudice and custom I should not be able to find my way across the room.

 

William Hazlitt  
      

   

« Home | Fragilidade - teorias subjectivistas » | Fragilidade - teorias objectivistas » | (Um bocadinho menos de) 100 anos de solidão » | Idiossincracias de Verão » | Podia ter acontecido. Tinha de acontecer. Acontece... » | Retrato de uma princesa desconhecida » | Diagnóstico: Tristeza física. » | O drama cervical » | Das arribadas forçadas - Código Comercial (ou não)... » | Igualdade ou nem por isso »

A história repete-se desde o início dos tempos.
Uma princesa, fechada por maldição no alto de uma torre protegida por um temível dragão.
Os cavaleiros que a querem resgatar, sem a terem sequer olhado, no desconhecimento de uma fealdade que nem ela sabe que tem.
Ela aguarda, paciente e triste que a venham buscar, e assiste, a cada dia, ao falhanço dos que tentam, em vão, aniquilar a primitiva besta. Fatalidade, ao cair de cada noite, desce da torre e alimenta o dragão que é, afinal, a sua única companhia.E espera.
História contada por M, num dia de trevas.