Mel Com Cicuta 

Without the aid of prejudice and custom I should not be able to find my way across the room.

 

William Hazlitt  
      

   

« Home | Não que isto interesse, mas a minha última seman... » | O Direito em forma de gente » | Maquiavéis de trazer por casa » | Realidade? só a que não puder ser evitada com uma... » | A jarra » | Da conquista da inimputabilidade » | Um post bastante longo e que, ponderados os prós e... » | Plano de viagem (ou até já) » | O Blogue reclama, ditoso, a atenção de outros tem... » | Os baús estão arrumados, a secretária imaculada, ... »

Modelos familiares alternativos (a Tv cabo)

[Ela] – Boa tarde, estou a falar de (…) sou o cliente número(…) e tenho um processo de reparação em curso. Vieram cá já 3 equipas técnicas vossas, nos passados dias 22, 23 e 24 de Agosto e o problema persiste.
[o call center] – Muito bem. E pode dizer-nos em que consiste?
[Ela] – (resposta, extensa, cheia de termos técnicos relativos ao universo da televisão por cabo que nem nunca sonhara saber utilizar).
[o call center] – Então vamos agendar uma nova visita, deve ser suficiente trocar a power box.
[Ela] – mas já vieram cá 3 vezes, e já trocaram a power box em duas deles, depois trocaram toda a instalação interna (fios, tomadas e fichas) e, finalmente, substituíram a ligação externa na caixa que fica de fora do prédio.
[o call center] - Então vamos agendar uma nova visita, para que o nosso técnico perceba o novo procedimento a desenvolver
[Ela] – Ouça, eu já estive em casa 3 tardes (*rosna*), o vosso técnico já fez tudo o que podia ser feito dentro de casa (*espuma*), o problema, segundo indicações que os vossos próprios serviços me deram, é externo (*suspiro*).
[o call center]- Então vamos agendar uma nova visita, com a equipa de exteriores.
[Ela] – Se é uma equipa de exteriores não tem de agendar visita nenhuma, certo? tratem do que têm a tratar e depois informem-me para eu poder confirmar se houve melhoria no serviço (*pragueja*).

3 dias, 4 visitas, 28 telefonemas e 3 xanax depois, o problema estava já resolvido sem que ninguém tenha conseguido perceber bem como.

[o call center] – Boa tarde, Dona Laura (*arrepio profundo e esgar de irritação*), fala Miguel, da Tv cabo (*já é a quinta vez que falamos em 2 dias, aparentemente somos chegados*), é só para confirmar a informação que nos foi dada pelo seu marido.
[Ela] – Quem?
[o call center] – O senhor que nos atendeu e informou que os problemas estavam resolvidos, a senhora não foi avisada?
[Ela] - Mas eu não …
[o call center] – Fomos atendidos por um senhor que se identificou como vivendo nesta morada e confirmou a resolução do problema. Aliás, o senhor disse mesmo que tinha tido origem num curto circuito causado por um pequeno acidente doméstico causado com um brinquedo de um dos vossos filhos.
[Ela] – Filhos? Mas…(?)
[o call center] - Er…não se zangue, ele se calhar não lhe contou para não a maçar com as crianças.
[Ela] – Mas…
[o call center] – Pelo menos tem o assunto resolvido!
[Ela] – Pois (*exausta, decide desistir de remar contra a maré*).
[o call center] – Então boa tarde e disponha sempre.
[Ela] - boa tarde…

:-D cumprimentos ao marido e aos filhos, xô dona Laura ;-)
Bjs
É preciso vir o Homem da Tv cabo para saber que tem marido e filhos!?!?! Hoje em dia já nem os amigos podemos dizer que conhecemos!
Infelizmente ainda já gente que não compreende a importância da TvCabo. Laura, da próxima vez diga que é visita de casa do Zeinal Bava, comigo resulta sempre.
Enviar um comentário